De 18 março a 4 junho de 2017 / 21:00h - 19:00h
MALEFÍCIOS DO AMOR – Trilogia Tchekhov leva ao público a obra cômica do autor russo tão conhecido por seus dramas profundos e psicológicos, mas que sempre incutiu o humor e ci

 

 

 

Trilogia Tchekhov leva ao público a obra cômica do autor
russo tão conhecido por seus dramas profundos e psicológicos, mas que sempre incutiu o humor e cinismo em seus diálogos

 

Anton Tchekhov criou clássicos e suas peças curtas tem sido aclamada. Foi um médico, dramaturgo e escritor russo, considerado um dos maiores contistas de todos os tempos. Em sua carreira como dramaturgo criou quatro clássicos e seus contos têm sidos aclamados por escritores e críticos.  Tchekhov foi médico durante a maior parte de sua carreira literária, e em uma de suas cartas[4] ele escreve a respeito: “A medicina é a minha legítima esposa; a literatura é apenas minha amante. ”

 

Tchekhov renunciou do teatro e deixou de escrever obras teatrais após a péssima recepção de A Gaivota em 1896, mas a obra foi reencenada e aclamada Em 1898, a peça a Gaivota foi aclamada pela encenação da companhia Teatro de Arte de Moscou. Tio Vânia, As Três Irmãs e O Jardim das Cerejeiras. Suas obras representam um desafio para os atores, bem como para o público, porque no lugar da atuação convencional Tchekhov oferece um “teatro de humores” e uma “vida submersa no texto”. A princípio Tchecov escrevia simplesmente por razões financeiras, mas sua ambição artística cresceu, e ele fez inovações formais que influenciaram na evolução dos contos modernos. Sua originalidade consiste no uso da técnica de fluxo de consciência, mais tarde adotada por James Joyce e outros modernistas, além da rejeição do propósito moral presente na estrutura das obras tradicionais.

 

A direção é de José Paulo Rosa, premiado diretor e pesquisador, que participou do CPT dirigido por Antunes Filho. Adaptou e dirigiu 16 obras para o teatro entre elas: Dom Casmurro, O Alienista, O Cortiço e A Hora da Estrela. Atualmente, está em cartaz com 08 espetáculos no projeto “Panorama Literário Brasileiro”.

 

O URSO

Retrata a história da viúva Helena Ivánovna Popov, seu criado Luká, e o credor Tenente Grigóri Stepánovitch Smirnov, que adentra em sua casa para cobrar uma antiga dívida de seu falecido marido. Quando fica evidente a impossibilidade de acerto de contas, o texto revela uma trama envolvente, cheia de nuances com pitadas de humor, drama, ironia e sedução. Um texto dinâmico e profundo com momentos intensos e reveladores dos sentimentos da alma humana.

 

O JUBILEU

Chega o grande dia para o presidente do banco, Andrei Andréievitch Chiputchin, que aguarda ansioso que seu assistente, Kusmá Nikolaevich, acabe de escrever o discurso que vai ler para os Membros da delegação dos acionistas do banco.  Ele só não contava com a visita de sua jovem, bela e fútil esposa, e de uma senhora velha, que estão dispostas a causar uma grande confusão neste dia tão importante.

 

O PEDIDO DE CASAMENTO

Ivan Vassilievitch Lomov vai até a propriedade de seu vizinho, Stepan Tchubúkov, pedir a mão de sua filha em casamento para grande felicidade deste. É com grande efusividade que Natalia Stepánovna, de temperamento nada fácil é chamada à presença de Ivan, sem que, no entanto, saiba a razão da visita do seu vizinho. Cada vez que ele tenta falar do assunto a conversa muda de rumo e se transforma em uma grande confusão, misturando e oscilando sentimentos de teimosia, amizade, inveja, vaidade e amor. A comicidade natural do texto é reforçada em meio às crises de saúde do rapaz que sofre de hipocondria.

 

 

MALEFÍCIOS DO AMOR – TRILOGIA TCHÉKHOV

Teatro Jaraguá (265 lugares)

Novotel Jaraguá

Rua Martins Fontes, 71. Bela Vista

Informações: 3255.4380

 Bilheteria: terça a quinta das 16h às 19h, sexta e sábado a partir das 16h, domingo a partir das 15h. Aceita todos os cartões, débito e crédito. Estacionamento pago no local. Acesso a deficientes
Vendas:  www.ingressorapido.com.br  e 4003.1212

Sexta às 21h30 | Sábado às 21h | Domingo às 19h

Ingressos:

Sexta e Domingo R$ 50 | Sábado R$ 60

 Duração: 90 minutos

Recomendação: 12 anos

Gênero: comédia dramática

Temporada: até 04 de Junho

 

 

Ficha Técnica:


Elenco: Francisco Carvalho, Lia Tucci, Liza Vieira e Warney Paulo

Direção: José Paulo Rosa

Cenário: Antônio Ribeiro

Figurino e Visagismo: Lia Tucci

Confecção Figurino: Arlete Castro

Iluminação: Rafael Bugath

Projeto Gráfico: ALTEM GRAFICA E EDITORA

Trilha sonora: Rafael Bugath

Assessoria de imprensa MORENTE FORTE

Fotos: Batista Lima

Coordenação de Projetos: Warney Paulo

Produtor: Gabriel de Souza

Realização: W7 Produções

 

Anton Pavlovitch Tchékhov (1860-1904) nasceu em Taganrog, na Rússia. Teve uma educação rígida e severa pelo pai Pável Tchékhov. Dividia seu tempo entre a medicina e literatura onde foi consagrado como mestre das narrativas curtas. O autor ficou primeiramente conhecido por seus contos que, no início de sua carreira literária, eram cômicos. Já muito popular escreveu algumas peças curtas, entre elas O urso (1888), e Pedido de casamento (1889), O Jubileu (1891) entre muitos outros, seus contos são densos e admiráveis servindo de inspiração para inúmeros escritores. Tchékhov era realmente um conhecedor da alma humana, seus personagens são profundos e marcantes.

Tchékhov foi inovador no mundo das letras e na arte dramática - considerado um dos maiores contistas da era moderna e destacou-se como ousado e renovador do gênero drama. Foi aclamado pelas suas obras A Gaivota, Tio Vânia, As Três Irmãs e O Jardim das Cerejeiras, interpretadas pela Companhia Teatro de Arte de Moscou de Constantin Stanislavski. Ganhou o cobiçado Prêmio Pushkin pela melhor produção literária distinta pelo seu valor artístico. Suas obras ganharam admiração de Tolstói, Stanislaviski, James Joyce, Virgínia Woof entre outros. Conquistou o afeto do público e sua obra está sempre em evidência sendo encenada em todo o mundo, não só no teatro como nos cinemas e documentários. Deixou uma imensa coleção de autênticas Joias literárias (centenas de contos, várias novelas, peças teatrais) e muitas se tornaram clássicos da literatura mundial.

 

Warney Paulo iniciou sua carreira na peça “A hora e vez de Augusto Matraca”, com Raul Cortez e direção de Antunes Filho, com quem trabalhou durante seis
anos, e participou das peças Rosa de Cabriuna e viajou mundo afora com Macunaíma
. Após um período como produtor na região Nordeste, volta aos 

Clique para habilitar o mapa
Teatro Jaraguá - Rua Martins Fontes, 71. Bela Vista - São Paulo